MÍDIA CENTER

Dom João Nilton é agraciado no Legislativo com Comenda 2 de Julho

Publicado em: 20/05/2022 14:11
Editoria: Notícia

Proponente da honraria, Dal elogiou a trajetória do religioso na concorrida sessão especial realizada na manhã de sexta-feira no plenário da Assembleia
Foto: NeusaCostaMenezes/AgênciaALBA

O bispo dom João Nilton dos Santos Souza, da Diocese de Amargosa, recebeu a Comenda 2 de Julho, a mais alta honraria concedida pela Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), em sessão especial realizada na manhã desta sexta-feira (20). O concorrido ato aconteceu no Plenário Orlando Spínola e foi conduzido pelo deputado Dal (UB), proponente da homenagem.



Dom João Nilton nasceu em Amargosa no ano de 1943, filho de Abílio Vitorino de Souza e Juvelina dos Santos Souza. Formado em Filosofia e Teologia, ele foi ordenado presbítero em 20 de dezembro de 1969, e bispo em 9 de novembro de 1986. O religioso adotou o lema “Faça-se a tua vontade” em sua caminhada. Bispo de Amargosa por 27 anos, dom João Nilton foi o terceiro bispo diocesano da história da igreja local. Em sua trajetória, atuou como pároco da paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho, reitor do Santuário Menor, vigário-geral da diocese de Amargosa, coordenador do Movimento de Educação de Base, bispo coadjutor de Bom Jesus da Lapa de 1986 a 1988 e membro do Conselho Diretor Nacional do Movimento de Educação de Base (MEB).



Após a execução do hino nacional pelo sanfoneiro Denny Bastos, o parlamentar fez sua saudação na tribuna e agradeceu ao público pela presença. Ao se dirigir ao homenageado, agradeceu-o pelos ensinamentos e conselhos feitos aos fiéis ao longo da sua caminhada. “A sua trajetória é uma injeção de ânimo e fé para enfrentar os meandros que todo dia passamos. Sempre nos ensinou a importância do verdadeiro do amor em Cristo. Seus ensinamentos me motivaram a chegar até aqui, e me incentivam a seguir fazendo mais pela Bahia e pelo Brasil”, disse o deputado.



De acordo com Dal, o bispo João Nilton ensinou, e continua ensinando, “o quanto devemos cultivar em nossos corações a importância de amar o próximo. Essa homenagem é uma forma de demonstrar meu agradecimento e minha admiração por sua missão episcopal”, frisou Dal.



Ao iniciar seu discurso, João Nilton ressaltou o sentimento de profunda gratidão por receber a Comenda 2 de Julho do Parlamento baiano. Emocionado, o religioso lembrou dos mais de 50 anos de serviços prestados à igreja. “Sou muito grato por ter sido acolhido pelo povo, o que ajudou no meu trabalho pastoral. Se encontrei desafios e dificuldades, também não me faltaram motivos de grandes alegrias nessa longa trajetória de mais de meio século”, afirmou.



O bispo contou ter ficado surpreso ao receber a notícia de que seria agraciado com a Comenda 2 de Julho. “Fiquei a pensar o que poderia ser a razão de insígnia homenagem. Partindo, porém, a iniciativa deste nosso deputado conterrâneo, que tão bem me conhece, sei que se trata de uma homenagem aos meus 50 anos de serviço ao povo de Deus, completados em 2019”, contextualizou o homenageado.



A mesa alta da solenidade reuniu autoridades e personalidades como o padre Romildo Pires dos Santos, da paróquia de Lapinha, representando o arcebispo primaz do Brasil, cardeal dom Sergio da Rocha; procuradora de Justiça Regina Maria da Silva Carrilho, representante da procuradora-geral de Justiça Norma Cavalcanti; presidente da Câmara de Amargosa, vereadora Vera Lúcia Santos Alves; padre José Raimundo Galvão, da cidade de Santo Antônio de Jesus; ex-vice-prefeito de Amargosa, Antônio Clóvis; empresário Valdir Reis; integrante do grupo Jovens com Cristo, Davi Santos; e o ex-seminarista e ex-presidente do Banco Baneb, José Carlos Sampaio. Também integraram a mesa os vereadores e vereadoras de Amargosa: Viviane Peixoto de Santana, Valter Luiz dos Santos, Marcos Paulo Andrade Sampaio, Oldaque Maia Bomfim e Eliezer Santana Santos.



Compartilhar: