Terça-feira , 25 de Janeiro de 2022

MÍDIA CENTER

Comissão de Meio Ambiente discute desafios da cadeia produtiva da apicultura

Publicado em: 01/12/2021 17:40
Editoria: Notícia

O deputado José de Arimateia (Republicanos) é o presidente do colegiado
Foto: JulianaAndrade/AgênciaALBA
As perspectivas e os entraves da cadeia produtiva da apicultura na Bahia foram debatidos na audiência pública promovida, nessa quarta (1º), pela Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos da ALBA. O colegiado se reuniu de forma semipresencial e ouviu apicultores, agricultores familiares e políticos, pesquisadoras sobre o tema. Entre as principais pautas abordadas, estão a morte das abelhas por agrotóxicos, a sanidade das abelhas, a criação do cinturão apícola e a criação do cinturão verde.



O evento aconteceu após provocação da vereadora de Alagoinhas Juci Cardoso (PC do B) que, ao participar de reunião com Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Sintraf) de Alagoinhas, ouviu dos produtores as dificuldades enfrentadas sobre a necessidade da preservação da flora para as abelhas e a necessidade e importância do fortalecimento da cadeia apícola.



“A questão da florada é central nesse debate. Precisamos de um cinturão verde para manter a sanidade das abelhas”, disse a vereadora Juci Cardoso. Para ela, é fundamental que as autoridades apoiem os apicultores. “A agricultura familiar não é agronegócio e muitos apicultores estão passando fome, pois estão perdendo renda com a morte das abelhas. Precisamos apoiar o desenvolvimento rural sustentável”.



A Bahia tem 20 mil apicultores e possui 87 Unidades de Beneficiamento do Mel (UBM). Por isso, o presidente do colegiado, deputado José de Arimateia (Republicanos), solicitou ao Governo do Estado o credenciamento de laboratórios para análises dos casos, tendo em vista as mortes das abelhas, cujos resultados servirão para subsidiar ações que incrementarão a apicultura na Bahia. Essa foi uma das problemáticas levantadas pelos pesquisadores que estiveram presentes no evento: a ausência de um laboratório do Estado para verificar a causa do aumento das mortes das abelhas e como prevenir.



Do encontro, também foi lançado um comitê para apresentar estudos técnicos sobre a criação dos Cinturões Apícolas e Verde na Bahia. O Cinturão Verde vai garantir uma plantação que floreia e que seja saudável para as abelhas, já que os participantes da audiência apresentaram o uso intenso de agrotóxico nas plantações próximas aos produtores e a ausência de plantações que floreiam e o Cinturão Apícola para garantir toda a cadeia sustentável aos produtores em determinadas regiões da Bahia.



Participaram da reunião os deputados Marcelino Galo (PT), Bira Corôa Lula (PT), Fátima Nunes Lula (PT) e Jusmari Oliveira (PSD). Além de Wilson Andrade, da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal (ABAF),; Oziel Oliveira, da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB); Drª. Luciana Espinheira Koury, promotora de Justiça, representando o Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente e Urbanismo; de Marivanda Eloy, coordenadora estadual de apicultura e de meliponicultura e secretária-executiva da Secretaria de Desenvolvimento Rural; Adelson de Jesus Gomes Filho, assessor técnico do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar de Alagoinhas (Sintraf), Hanay dos Santos, zootecnista e mestra em agronomia e muitos agricultores e agricultoras familiares.





Compartilhar: