Terça-feira , 05 de Julho de 2022

MÍDIA CENTER

Coronel diz à comitiva da China que ALBA estará pronta para ?legalizar? projetos da Fiol e Porto Sul

Publicado em: 20/03/2018 17:34
Editoria: Presidência

“Podem contar com a Assembleia Legislativa da Bahia para qualquer solução, do ponto de vista legal, para os projetos da Ferrovia Oeste-Leste (FIOL) e do Porto Sul. Se houver um obstáculo, tenho certeza que os 63 deputados desta Casa irão se empenhar para resolvê-lo com a aprovação de um projeto de lei”. Esta foi a declaração principal do encontro realizado na tarde de hoje (20.09) entre o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia – ALBA, Angelo Coronel, e uma comitiva de 18 empresários da China que veio à Bahia para tratar dos investimentos no projeto de extração de ferro da Bahia Mineração, em Caetité. Cinco representantes da Bahia Mineração também acompanharam a visita. 

Além de Coronel, a comitiva chinesa foi recepcionada pelos deputados integrantes da Comissão da FIOL e do Porto Sul na Assembleia Legislativa da Bahia: Ivana Bastos (PSD), Ângela Sousa (PSD), Maria del Carmen (PT) e Zé Raimundo (PT).

Os empresários chineses, liderados pela China Railway Group, fazem parte do consórcio multinacional – Brasil, China e Cazaquistão - que irá gerenciar as obras da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) e do Porto Sul, em Ilhéus, para o escoamento de 18 milhões de toneladas/ano da mina Pedra de Ferro, da Bahia Mineração, em Caetité.

O gerente de Investimento e Desenvolvimento da China Railway Goup, Huiguang Feng, agradeceu a deferência de ser recebido pelo presidente do Parlamento baiano e disse que o projeto integrado da ferrovia, porto e produção de ferro é uma aposta concreta na economia da Bahia. “Estamos muito satisfeitos com os negócios que estamos fazendo. O investimento é muito importante para a economia baiana, mas também é muito importante para os interesses chineses”, agradeceu Feng, que recebeu um berimbau de prata como símbolo da boa acolhida.


“O ferro de Caetité tem um grau de qualidade superior, semelhante ao de Carajás e melhor do que o do quadrilátero ferrífero, no centro-sul de Minas. Então, interessa muito à China que é uma das maiores economias do mundo e não para de crescer. O projeto conjugado do porto e da ferrovia vai transportar não só o minério de Caetité, mas os fertilizantes para a produção agrícola do Oeste e ajudar a escoar esta mesma produção para o resto do país”, destacou Coronel, que foi presenteado com uma pintura em seda e um panda estilizado em cerâmica. 

O Presidente da Bahia Mineração, Eduardo Ledsham, disse que a ferrovia e o porto são fundamentais para que o minério de ferro de Caetité possa ser extraído e exportado. “É uma questão de dimensão. É um projeto gigantesco, com uma logística grandiosa. Necessita de um porto de águas profundas, que deverá estar concluído em 38 meses, e mais de 70% das obras da FIOL estão prontas. Então sou realista/otimista: com o atual preço de US$ 70 da tonelada do ferro no mercado internacional, o projeto é muito mais que viável”, destacou Ledsham.

“Esta visita à Assembleia é mais um sinal de que os projetos – muito importantes para a Bahia – estão avançando. É um investimento importantíssimo, que vai levar mais emprego e renda para milhares de baianos”, afirmou a presidente da Comissão da FIOL e do Porto Sul na ALBA, deputada Ivana Bastos.

BAHIA MINERAÇÃO

O empreendimento da Bahia Mineração no Estado, localizado em Caetité, é denominado Projeto Pedra de Ferro e produzirá cerca de 18 milhões de toneladas de minério de ferro/ano. Constituída em 2005, a Bahia Mineração sofreu uma reformulação societária em 2008, quando a Eurasian Resources Group (ERG), do Cazaquistão,  passou a deter 50% das ações.


Em 2010, todo o controle da mineração foi para o grupo, que atua há 20 anos no setor mineral, em 14 países. É o maior produtor mundial de ferrocromo, um dos mais importantes especialistas em minério de ferro, um dos dez principais produtores de alumínio e o principal produtor de cobre e cobalto do mundo.

O desenvolvimento dos projetos da Ferrovia Oeste-Leste e do Porto Sul – fundamentais para viabilizar a produção da mina Pedra de Ferro, em parceria com a Eurasian - será liderada pelo consórcio chinês formado pelas empresas China Railway Group; China Communications Construction Company; Minmetals Development; Shougang Fushan Resources Group; e Dalian Huarui Heavy Industry Group. 



Compartilhar: