Segunda-feira , 10 de Agosto de 2020

MÍDIA CENTER

Jurandy Oliveira propõe Comenda 2 de Julho para Gildásio Xavier

Publicado em: 06/12/2019 18:58
Setor responsável: Notícia

Divulgação/AgênciaALBA
O deputado Jurandy Oliveira (PP) apresentou projeto de resolução para conceder a Comenda 2 de Julho a Gildásio Alves Xavier, “um cidadão na inteireza acepção dessa palavra, que tive o prazer de conhecer e de conviver ao longo da minha trajetória como representante dos baianos, convívio estreitado quando da sua passagem pela Superintendência Parlamentar nesta Casa”. Para ele, Gildásio Xavier dedicou toda a vida ao serviço público  em diversos postos elevados, “com a competência embasada em sólida formação profissional, com a proverbial sabedoria daqueles que costumam escutar bastante e falar apenas o necessário”. 
Sertanejo de Ipirá, Jurandy Oliveira observa que, curiosamente, o temperamento ameno, “mineiro”, do homenageado “nunca contrastou com o comportamento urbano, que junto com a fala macia, num tom grave, porém suave, o fez popular (se essa é a palavra exata) em todos os órgãos públicos onde serviu”. O deputado do PP  lembrou ainda que Ibitiara, terra natal de Gildásio, “apesar dele ser um autêntico chapadista, nem é tão distante de Minas Gerais”. 

CARREIRA

O decano da Assembleia Legislativa que cumpre o décimo mandato consecutivo,  seguiu enumerando as qualidades do servidor na justificativa da sua proposição. “Cortês desde o berço, Gildásio Xavier, em sua primorosa carreira no serviço público da Bahia – e fora dela –, conquistou admiradores e amizades para toda a vida. Laços que cultiva com zelo e longos, muito longos telefonemas que têm o condão adicional de mantê-lo bem-informado, sempre”, pontuou. 

O parlamentar acrescentou que a singular e bem-sucedida carreira pública que Gildásio trilhou possui alguns componentes de difícil reprodução na polarização que domina a política e o serviço público nos tempos atuais, “onde pouco significam os requisitos básicos para a assunção de qualquer posto: impessoalidade, legalidade, eficiência, publicidade e moralidade”. Além da correção pessoal e austeridade.

Segundo ele, Gildásio Xavier trabalhou com “afinco e lhaneza” de 1973 até o final de 2013, portanto, por 40 anos consecutivos: “Ocupou uma impressionante série de cargos observando com rigor aqueles princípios – dedicando a sua inteligência a gestões diversas, com diversos níveis de antagonismo político, colocando sempre à frente, como objetivo maior, o progresso e o bem-estar da Bahia e dos baianos. Ou melhor, os interesses maiores da nossa terra e da nossa gente, com um currículo escolar/acadêmico a altura da sua trajetória vitoriosa”.

DOUTOR GILDÁSIO

Gildásio Xavier cursou o primário no Instituto Ponte Nova, em Wagner, também em sua amada Chapada Diamantina. Depois seguiu para o colégio Dois de Julho, em Salvador, onde concluiu o segundo grau. Residindo em Brasília desde 1963, ele obteve a graduação em Direito na Universidade de Brasília, UnB, em 1969 – exercendo a advocacia até 1973 na sua terra – quando passou a ser tratado como “Doutor Gildásio” pelos colegas, depois pelos amigos, mesmos os mais íntimos, e que não o largou mais.

Ainda em 1973 ele fez especialização em Direito Público na Faculdade de Alcalá de Henares, na Espanha, passo fundamental para a complementação profissional de sua longa, produtiva, proba e exitosa carreira no serviço público baiano. Em seguida assumiu o cargo de assessor especial da Seplantec, na gestão do secretário Mário Kertész, até 1978. Na gestão seguinte, do governador Roberto Santos, foi assessor da Casa Civil, entre os anos de 1979 e 1984.

No ano seguinte, assumiu a chefia da Casa Civil da prefeitura de Salvador na última passagem do prefeito Mário Kertész, encerrada em 1989. Em 1990 Gildásio Xavier foi diretor de Redação do Jornal da Bahia. Em seguida, em 1991, assumiu a Superintendência Parlamentar da Assembleia, onde marcou época. Ficou no prestigioso e complexo cargo até 1997, atuando nas presidências dos deputados Eliel Martins, Antônio Imbassahy, Eujácio Simões, e Otto Alencar – não permanecendo na gestão seguinte do seu amigo Antônio Honorato, hoje conselheiro do TCE, por ter aceitado o convite de Antônio Imbassahy para o cargo de Secretário de Governo. Ficou no posto os oito anos daquela gestão.

Em 2007, atuou como assessor Especial da Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional da Bahia até 2011, sendo secretário Edmon Lucas, durante a administração do governador Jaques Wagner. Depois Foi assessor técnico da Governadoria do Estado, ainda na gestão de Jaques Wagner, permanecendo até o final do governo. A partir de 2014 passou a iniciativa privada. Gildásio Xavier nasceu em Ibitiara, em 15 de março de 1941, descendente de família tradicional da Chapada Diamantina, filho de pai político, que foi prefeito da cidade. Casado com Isadora, tem dois filhos, Tatiana e Felipe.



Compartilhar: