Quinta-feira , 14 de Novembro de 2019

MÍDIA CENTER

Jânio Natal sugere ações para minimizar prejuízos no litoral baiano

Publicado em: 22/10/2019 20:10
Setor responsável: Notícia

Divulgação/AgênciaALBA
Monitoração constante e estado de prontidão, com mobilização dos órgãos oficiais e de toda a comunidade, para minimizar os prejuízos causados pelas manchas de óleo, no litoral baiano. Essa foi a sugestão do deputado Jânio Natal (Podemos), ao governador Rui Costa e ao secretário estadual do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, em indicação apresentada na Assembleia Legislativa.

No documento, o parlamentar chamou a atenção para a ampla divulgação do desastre ecológico, pela imprensa, e para o número estimado de cerca de 35 toneladas do material retirado das praias baianas, que, além da devastar a flora e a fauna marinha, representa uma grande ameaça ao turismo baiano, principalmente na região do Extremo Sul, onde as praias constituem a maior atração. 

“A preocupação é ainda maior, porque se aproxima o verão, época da alta estação, quando mais de 1,6 milhão de turistas chegam a Porto Seguro, garantindo a economia de toda a Costa do Descobrimento e a renda da maioria das mais de 160 mil pessoas que moram no município e sobrevivem dessa atividade”, lamentou.

Para o legislador, uma verdadeira tragédia ecológica e econômica se anuncia sobre  Extremo Sul baiano “e, apesar de saber que o Governo Estadual já tem tomado diversas providências para debelar o problema, acreditamos que, pelas proporções que já atingiu, a situação demanda uma ação mais ampla, com a união de todas as instituições que possam contribuir efetivamente, nesta crise”, demandou.

Por fim, Jânio Natal sugeriu, ao governo estadual, intensificar ao máximo as ações de prevenção e combate à ameaça, “buscando a integração entre órgãos federais, estaduais e municipais, como a Marinha do Brasil, o Inema e outras entidades ligadas ao meio ambiente, no sentido de monitoração constante e estado de prontidão, com mobilização dos órgãos oficiais e de toda a comunidade, visando minimizar os prejuízos causados pelas manchas de óleo, no litoral baiano”, concluiu.




Compartilhar: