Terça-feira , 10 de Dezembro de 2019

MÍDIA CENTER

Ações para melhorar a saúde em Salvador são debatidas na Assembleia

Publicado em: 08/10/2019 21:06
Setor responsável: Notícia

JulianaAndrade/AgênciaALBA
A Comissão de Saúde e Saneamento da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) recebeu, na manhã desta terça-feira (8), a visita do secretário municipal da Saúde e deputado estadual licenciado, Leo Prates (DEM), para a apresentação das ações praticadas pelo município de Salvador no que tange as melhorias da saúde pública na capital baiana. Proposto pelo deputado Alan Sanches (DEM), o convite foi aprovado após críticas do presidente do colegiado, deputado Alan Castro (PSD), a respeito das condições de atendimento das Unidades de Saúde da Família (USF), classificadas como precárias pelo pessedista. 

De acordo com Alan Castro, entre alguns problemas, as USFs apresentam deficit de medicamentos, equipes médicas incompletas, além da ausência de agentes de portaria, o que estaria comprometendo a segurança dos profissionais de Saúde assim como a dos pacientes. “Eu andei visitando as Unidades de Saúde da Família e percebi coisas graves. Evidentemente não é culpa do nosso secretário, Leo Prates, mas existem. Já havia dito antes, e repito: A saúde de Salvador está na UTI, espero que em pouco tempo esteja pelo menos na enfermaria”, afirmou. 

Em apresentação com exposição de dados, com comparação aos números de gestões anteriores, Leo Prates rebateu as críticas do parlamentar. Segundo o secretário municipal, embora ainda exista necessidade de melhorias, a saúde pública de Salvador teve ampliada a cobertura de atendimentos, principalmente no que tange à saúde primária, que alcançou 49% da demanda. 

Ainda conforme explicou Leo Prates, o sistema de saúde no município de Salvador tem atualmente a carência de aproximadamente 80 médicos, o que já está sendo providenciado a partir da instalação de um programa de residência nas unidades de saúde e hospitalares. O democrata também chamou a atenção para o aumento do quantitativo das bases do Serviço Móvel de Urgência (Samu) para 14 espalhadas pela capital, resultando em um tempo de resposta entre 15 e 20 minutos após o chamado.  

Ao todo, 304 equipes médicas atuam nas USFs, contribuindo para a prestação de serviço para a população. Ainda segundo Leo Prates, a prefeitura, por meio da Secretaria municipal de Saúde, comprou recentemente 305 tipos de medicamentos dos 325 recomentados pelo Ministério da Saúde para o amparo ao cidadão; além disso automatizou as licitações para demandas que estejam de acordo com o que prevê o parecer já emitido pela Procuradoria Geral do Município. Entre as informações divulgadas na manhã desta terça, também foi anunciado o lançamento futuro de um aplicativo em que será possível identificar em qual posto de saúde encontrar o medicamento desejado.

“É uma rede maiúscula. Ela é enorme, e está sendo melhorada ponto a ponto. A nossa obsessão é dar a qualidade e o conforto que o povo merece”, afirmou Leo Prates. 

Para o deputado Alan Sanches, apesar de Prates ter assumido a Secretaria de Saúde de Salvador há aproximadamente três meses, o sistema na capital baiana já sofreu importantes mudanças. “É muito curto o prazo para se fazer juízo de valor. Só que é inegável que houve melhorias na saúde pública de Salvador”, garantiu. 

Apesar de não compor o colegiado, o deputado Alex Lima (PSB) também recepcionou o colega licenciado do Parlamento. Fazendo o uso da palavra, o socialista elogiou a postura de Prates ao aceitar o convite da comissão. “Chamo a atenção para algo inédito para este colegiado. É muito bom ver esta comissão trazer um secretário municipal da Saúde para responder aos questionamentos, sanar as dúvidas, e expor cada informação relevante”, afirmou. 

Na oportunidade, o colegiado realizou inúmeros questionamentos ao visitante. A deputada Fabíola Mansur chamou a atenção para a necessidade de uma maior transparência nas filas de espera para procedimentos cirúrgicos, a fim de proporcionar ao cidadão uma noção de quando será atendido. A deputada reconheceu a dificuldade orçamentária dos municípios, e o baixo valor pago por procedimento pelo Sistema Único de Saúde à equipe médica. Os deputados Alex da Piatã (PSD) e Eduardo Alencar (PSD) ressaltaram a importância da realização de ações voltadas para a prevenção do Sarampo, e a criação de uma cota municipal única para cirurgias de joelho na capital baiana, respectivamente. 

Participaram do encontro, por meio do colegiado, os deputados Alan Castro (PSD), Alan Sanches (DEM), Eduardo Alencar (PSD), José de Arimateia (Republicanos), Fabíola Mansur (PSB), Alex da Piatã (PSD) e Jaco Lula da Silva (PT). Além disso, outros parlamentares que não fazem parte da comissão estiveram na reunião. Foram eles os deputados Alex Lima (PSB), Niltinho (PP), Jurailton Santos (Republicanos), Pedro Tavares (DEM), Marquinho Viana (PSB), Paulo Câmara (PSDB), Robinson Almeida (PT), Diego Coronel (PSD) e Vitor Bonfim (PL). 


Compartilhar: