NOTÍCIAS
Sessão marca os 70 anos da Federação das Indústrias do Estado da Bahia

Os 70 anos de fundação da Federação da Indústrias do Estado da Bahia e do Serviço da Industria do Estado da Bahia (Fieb/Sesi) foram comemorados ontem na Assembleia Legislativa. “Aproveito esse momento tão especial, bonito e significativo para ressaltar o trabalho de excelência de todos vocês aqui presentes, que, com brilhantismo, esforço e civismo se dedicam de corpo e alma à tarefa de fortalecer o parque industrial da Bahia”, exaltou Sandro Régis (DEM), deputado que propôs a homenagem. Ele classificou de “ação heroica” o papel desempenhado pelos industriais baianos.

A mesa de honra formada pelo presidente da ALBA, deputado Angelo Coronel (PSD), deu a dimensão da representatividade do evento. Além do próprio Coronel e de Sandro Régis, encontravam-se o presidente da Fieb, Ricardo Alban, superintendente do Sesi Bahia, Armando Neto, terceiro vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Paulo Afonso Ferreira; presidente da Federação das Indústrias de Goiás, Pedro de Oliveira; presidente da Fecomércio, Carlos Andrade; presidente da Federação da Agricultura e da Pecuária da Bahia (Faeb), Humberto Miranda Oliveira;  superintendente da Sudene, Marcelo Neves; presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas da Bahia (CDL), Antoine Tawil; subscretário municipal da Infraestrutura de Salvador (Seinfra), Élio Régis; presidente da Associação Comercial da Bahia (ACB), Adair Oliveira; diretor superintendente do Sebrae-BA, Jorge Khoury; e os vice-presidentes da Fieb, Angelo Calmon de Sá Junior, Juan José Rosalio Lorenzo, Eduardo Catharino Gordilho e Sérgio Pedreira. Ouros próceres da indústria se fizeram presentes ao evento.

PORTAS ABERTAS

O presidente da ALBA ressaltou a importância de dar visibilidade ao trabalho desenvolvido pela Fieb e pelo Sesi. “Sem indústria não há comércio e sem comércio não há indústria, assim como sem capital não tem trabalho e sem trabalho não há capital”. Ele atribuiu a esta confluência de forças para que o estado se desenvolva e garantiu que, enquanto estiver na presidência da Casa, as portas estarão sempre abertas para o setor produtivo. Ele anunciou ainda a cerimônia de posse da nova diretoria da Fieb, na sede da Federação, à noite, quando Ricardo Alban será reconduzido para um novo mandato de presidente.

Sandro Régis saudou os empresários, que “são desafiados a se manter de pé, de não baixar a cabeça, a continuar lutando e confiando sempre que são capazes de vencer as adversidades” naturais das atividades desempenhadas e outras que ocorrem nos “difíceis dias em que vive o nosso Brasil, de incertezas crescentes e certezas indesejáveis”. O parlamentar destacou o papel da Fieb desde os primórdios, durante a instalação da primeira refinaria do país, a Landulpho Alves, passando pela consolidação do Pólo Petroquímico de Camaçari e a Caraíbas Metais, e do parque automotivo da Bahia.

DESENVOLVIMENTO

“A Federação é hoje reconhecida como uma entidade que presta importante apoio ao desenvolvimento industrial da Bahia, incentivando a inovação e formando mão-de-obra qualificada”, definiu o deputado, afirmando que não se cansa de aplaudir e destacar o quão importante é a Fieb para a Bahia, com seu trabalho profícuo e sérios. Neste aspecto, ele citou o convênio entre o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e o CIA, o trabalho do Senai-Cetind, reativação do Cieb, a instalação do Senai-Cimatec, em Salvador, entre outros.

Na ocasião, Sandro ressaltou a atuação da Frente Parlamentar da Indústria Baiana, criada há dois anos. Quarenta e oito, dos 63 deputados, compõem a frente, que é segmentada por áreas de atuação. Ele disse que a sessão de ontem e a frente são meios de saber mais sobre o assunto e permitir que a Fieb continue chegando com mais facilidade aos rincões do Estado, difundindo os ensinamentos e estimulando a criação de micro e pequenas empresas, colaborando assim com o desenvolvimento em todo território nacional.

APOIO 

O superintendente do Sesi, Armando Neto, ocupou a tribuna de onde enumerou o trabalho que o Serviço vem realizando, como a interiorização do serviço, atendendo a mais de duas mil instituições industriais e mais de 75 mil trabalhadores e 13 mil pessoas matriculadas nas três áreas em que atua: educação continuada, educação de jovens adultos e educação regular. Paulo Afonso, terceiro vice-presidente da CNI, considerou o evento muito importante não só para a Bahia como para o país. Ele agradeceu publicamente a Alban “pelo apoio de ajuda, neste momento em que estamos passando no Brasil com uma série de dificuldades, que também são oportunidades que se criam.”

Ricardo Alban, último orador da sessão, dedicou grande parte do seu pronunciamento para agradecer o apoio de todos, alguns nominados especialmente. O presidente da Fieb fez questão de ressaltar a atuação do Sesi, por meio da educação, da humanidade e da cultura. “Não quero colocar o carro adiante dos bois, mas estamos pensando para o Sesi algo bem maior, algo diferente, em algo que aumente a conectividade com o Cimatec, com o Senai. Estamos vendo se é possível ou não”, disse. 

Ele ressaltou as dificuldades enfrentadas nos últimos quatro anos “por esse imbróglio político que está aí, em que tudo está se judicializando, anos certamente difíceis, com a herança de uma disputa”. Alban fez questão de enaltecer a reunificação do setor, com os 43 sindicatos integrados, todos participando. Para ele, trata-se do legado de um trabalho iniciado pelo falecido presidente da Federação Carlos Gilberto de Farias e consolidado por ele. “Sempre digo que essa reunificação é nosso maior legado, em que todos os sindicatos mantiveram suas individualidades, mas contribuindo em conjunto. “A Fieb hoje é uma sucessão de complementariedade”, refletindo o trabalho desenvolvido por todas as diretorias que já a dirigiram.
NeusaMenezes/Agência-ALBA
  • Publicado em: 07/04/2018
  • Setor responsável: ASSESSORIA COMUNICACAO SOCIAL
  • Compartilhar: